sexta-feira, 28 de setembro de 2007

3 rapidinhas - primeira.


Segundo os media de hoje, o INE perspectiva que, no próximo quartel (não, não é edificação militar, é o período de 25 anos), teremos uma mais que duplicação no índice de envelhecimento, em Portugal.


Dos actuais 112 velhos (> 65 anos), contra 100 com idades inferiores a 14 anos, passarão a existir 242 contra 100.


Tendo em atenção ao que, actualmente, está a acontecer com as reformas/pensões, alerta-se:


Atenção jovens actuais e futuros!


"CUIDEM MUITO BEM DO VOSSO PASSADO".

9 comentários:

Gi disse...

E se tivermos em conta as receitas fiscais a cairem a pique nos proximos 4 ou 5 anos pior umm pouco.


Nada risonho este futuro

Um beijo

xistosa disse...

O futuro das pensões de reforma está assegurado.

Nas instalações que se encerraram, de escolas, centros de saúde e quejandos, instalar-se-ão ASILOS.
Uma malga de sopa ou um caldo de "coibes", manterá à tona a velhice.

Ou então ... teremos, os que forem vivos, de assaltar os "fazedores" de pensões chorudas e os seus recebedores e esbulhá-los dos vilipendiosos e ignóbeis proventos.

xistosa disse...

Esqueci-me da definição de quartel.

quartel = @ + 10

Ainda estará certa a minha matemática ?

AGRIDOCE disse...

Alô GI,

Era bom que as receitas fiscais caissem só nos próximos 4 a cinco anos(tóc, tóc, tóc). Seria sinal que o país, finalmente, ao fim de tantos anos de teimosa forma de viver acima das suas posses (o país ou, pelo menos, a maioria deste país, onde alguns são mais maioria que outros), tinha encontrado o bom caminho e passado a produzir o suficiente para viver bem.

Mas enquanto há esperança...

Bjs.

AGRIDOCE disse...

XISTOSA,

quartel = @ + 10
Certíssimo.

Daqui a vinte e cinco, trinta anos, já nem essas instalações se aguentam em pé.

Às vezes, penso em como é que o país irá dar a volta, só para manter as pontes e autoestradas em condições mínimas de continuarem a ser utilizadas.

Gi disse...

Eu devia escrito

... "durante" ...

ou

"ainda durante, mais ..." .

Quem me manda a mim não saber escrever?

Beijinhos

marta disse...

Pois eu acho que andam a pensar de mais no futuro longínquo.

não gosto do que se anda a preparar, Europa, USA e Israel contra o Irão.

Neste momento nem a minha reforma me preocupa.

AGRIDOCE disse...

GI,
Acho que já estava subentendida essa mensagem. Pelo menos, assim a percebi.
Quem me dera saber escrever como tu!!
Bjs

AGRIDOCE disse...

MARTA,
Nós, os jovens, é assim, não nos preocupamos com a nossa reforma, nem com o futuro :)
Foi bom rever-te por cá.
Bjs