sábado, 8 de setembro de 2007

Como é possível?!

Tenho andado com uma bola no estomâgo, que tem aumentado com o passar do tempo.

E com as lágrimas fáceis a correr face abaixo.

Acredito que estes dias o tema Maddie vai ser teclado até à exaustão, também no mundo blogático.

Não vou entrar em apreciação técnica dos pormenores da investigação que têm vindo a público.

Acima de tudo, porque o que vem a público pode ser verdade, mas será sempre parcial, o que pode induzir à ilusão, ou pode ser uma ilusão mediática que induza a uma realidade inexistente.

Terei (teremos) que esperar pelo fim de todo este "teatro" (sem ter a certeza que aquele jantar de amigos em que se deixaram as 3 crianças em casa - provavelmente com uma já sem ter possibilidades de acordar, talvez até já sem estar a dormir em casa naquele dia - não foi mais que mais um teatro montado, real ou virtual), para saber se o alegado rapto foi verdadeiramente um rapto, ou apenas uma tentavia de rapto da hedionda verdade.

Ainda quero continuar a acreditar que aquele sorriso continua a existir, nuns olhos doces e face inocente, corpo na idade dos primeiros passos para a alegria de viver, ainda longe de chegar à animalidade de coração gelado dos adultos.

Ainda quero continuar a acreditar que a criança foi raptada e, por força da idade, já sorri no colo de outro adulto, pérfido.

Nem quero imaginar que os pais de uma criança tenham praticado tamanha atrocidade, mesmo que nem se trate sequer de homícidio.

Nada justificará, ou justificaria, que montassem um circo de recolha de milhões, que ainda continua à solta, à custa de um ser que nasceu deles e que eles, acima de qualquer outro ser neste mundo, deveriam cuidar em todos os momentos.

A constituição de arguido, em Portugal, deixa, obrigatoriamente, fumos muito escuros sobre a ligação de uma pessoa à prática do(s) crime(s) que estão sob investigação. Sem ser definitiva ou um ponto final, é um mau ponto de partida ou, neste caso, de continuação ao fim de quatro meses.

Maddie, se tudo o que agora começa a vir a público aconteceu, os teus pais não merecem viver.

Que se suicidem, como forma de minorar o que fizeram. Sem ser possível anular tamanha barbaridade de comportamento.

Olho para as tuas fotos com que nos deparamos na net ou nos media.

Quero, espero e rezo, mesmo sem acreditar muito em rezas, que continuas a sorrir.

Por ti, mas também por mim. Para não ser confrontado com a tamanha cruel realidade que parece estar a aparecer aos meus olhos, que já me tolda a visão e me não deixa fazer uma refeição sem sentir náuseas pelo que te pode ter acontecido.

7 comentários:

Pitucha disse...

Não estaremos a ir depressa demais na condenação dos pais?
Beijos

AGRIDOCE disse...

Pitucha,

Eu não condenei os pais, mas... já anda fumo a mais no ar.

Compreendo a tua precaução. Que também tive, pois apenas hipostasiei a situação que começa a tomar forma.

Porque não acredito que a PJ tenha colocado, propositadamente, questões capciosas que não deixassem às testemunhas outra possibilidade senão pedirem o estatuto de arguidas (sob pena de responderem e formalizarem uma realidade inexistente e, com isso, incriminarem-se).

Mas... como o mundo anda, até já começo a acreditar no Pai Natal. E que venha depressa, porque as pessoas ficam mais humanas nesse período.

Beijos.

Aninhas disse...

Pensando na hipótese de serem os pais, então será só a mim que me faz uma tremenda confusão como é que se são culpados continuam nesta vida??!?
Eles suspenderam as suas vidas, viajaram para todo o lado, fizeram milhoes de acções...
Se fosssem culpados não estariam já a deixar as coisas arrefecer, o assunto a cair no esquecimento?
Quanto mais nao fosse para se safarem com o que teriam feito...

A meu ver não é coerente.

No entanto se há fumo... de facto pode haver fogo.
Inclino-me mais então parea a hipótese de ter sido apenas um dos pais.
Talvez a mãe, que é notoriamente a pessoa mais sobrecarregada e mais fechada...

Custa-me a crer que 2 pessoas tenham a frieza de espírito necessária para manter todo este circo durante meses e meses...

Enfim. Gostava mesmo é que a miúda estivesse bem...

:)

xistosa disse...

Talvez tenha sido um acidente.
Estamos atreitos a imprevistos.
Mas, EU XISTOSA, desde o príncipio que acuso os pais.
Está escrito em diversos blogues e no meu.
Sempre disse, que ou nunca mais aparecia, levada por uma rede pedófila, ou estava morta.
Por isso, todos os pedidos que me chegaram via e-mail, para colocar barras, que nem sabia colocar, mas mesmo que soubesse não o faria, para colocar isto e aquilo.
Só perguntava porque não se fez, ou fazia com as nossas crianças?
Tenho pena da miúda, mas foram os PAIS QUE A MATARAM !!!
Agora por tudo e por nada, empregam-se nomes ingleses.
Eles, o casal, trocavam de parceiro(a)s.
Certamente nem seriam os pais da miúda. (Eu sei que não será assim. É um desabafo!)
A miúda era loira e falava, mas podia ser amarela ou ladrar, acredito em tudo.
O que é certo, é que 4 casais, nessa noite já tinham emborcado 27 garras de vinho ..., não sei como é que iam de meia em meia hora vigiar as crianças a quem lhes tinham admninistrado sedativos.
Talvez de gatas.
Todos os dias eram orgias, de vinho.
Com as posses, são da classe média/alta e com o valor da libra, não encontrariam ninguém para tomar conta de sete crianças?
Porque procuraram saber o tipo das correntes marítimas ?
Para vogarem ao sabor das correntes?
Há muita coisa mal contada e mal investigada.
A nossa "judite", descobriu logo a verdade, isso é irrefutável, só que não tem/tinha provas para os incriminar.
Mesmo agora ... vamos a ver, mas os resultados não são fiáveis a 100% e há sempre um bom advogado ...

Vamos lutar pelas nossas crianças desaparecidas e deixar esta ...
Todos seremos poucos e não será com mediatismos que aparecerão ...
Mundo cruel ... até para os inocentes!!!

AGRIDOCE disse...

ANINHAS,
É claro que a nós, comuns dos mortais, que sofremos o bombardeamento de notícias e contra notícias, cada qual a ver se especula mais que a anterior para vender mais, não nos resta muito mais que especular um pouco, também.
O meu post foi colocado sobre hipóteses e factos que vemos e ouvimos, num momento em as notícias que sairam no dia anterior e na manhã de ontem me apanharam ainda meio frágil das noites mal dormidas. Exprimi o que sinto acerca de tudo isso. não mais.
Bjs

AGRIDOCE disse...

XISTOSA,
Fazes aí algumas afirmações que... até parece que estás por dentro dos factos.
Claro que toda a gente compreende que estamos no campo das hipóteses e alguma especulação.
Abraço.

marta disse...

Ainda não quis nem quero falar destes novos contornos. Na altura fiz um post, a dizer que os pais tinham sido inconscientes, incompetentes e que tinha sido uma manifesta falta de cuidado.
As minhas noras, principalmente uma, chamava permanentemente a atençãopara a falta de sofrimento, dos pais, mas principalmente da mãe. Quem, três dias depois de um filho ser roubado vai fazer jogging? Porqueé que os dois melhores ou mais conhecidos advogados foram contratados 15 dias depois do rapto a ganhare balurdios à hora?
Sempre perguntei porque precisariam eles de advogados tão caros, tão reputados e logo dois?

Desde sempre que há um mar de perguntas nunca respondidas.
Mas hoje os media em Portugal disseram que os pais, depois do rapto da filha, o primeiro telefonema que fizeram foi para o Sky News, antes mesmo de telefonarem para a polícia....


Beijinhos