quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Porto - escapadinha.


Bye, bye, férias!

Ainda tenho uns dias pendurados… mas faltar-lhes-ão o sol, os dias maiores ou as noites (escolham), o calor, o espírito geral de boa disposição na cara das pessoas, para lhes dar o verdadeiro sabor a férias.

A não ser que… Pois, é. É isso mesmo. A não ser que eu vá ter com esse espaço / tempo. Logo se verá.

A semana teve o ponto alto no Porto. “Red Bull Air Race” foi o apelo principal.

Um pouco fora de tempo este post.

Dois dias a ver aeromodelismo em ponto um bocadinho maior, mas sem se ver ninguém em terra a puxar fios ou com rádio-comando nas mãos.

Incrível a precisão e rapidez dos movimentos daqueles brinquedos.

Incrível, também, o amontoado de gente que, como eu, resistiu ao sol escaldante de um céu límpido de verão em Portugal. Será que também já começaram a perder a pele?

Incrível, ainda, a experiência que vivi no sábado.

Saindo do Ipanema Hotel resolvi, prevendo uma maior enchente no Porto, levar o carro ao colo até ao outro lado e ficar em Gaia a apreciar a corrida.

No dia anterior, a pé, fui até lá e tive uma perspectiva completa da mesma. E uma vista maravilhosa da cidade do Porto, iluminada por toda aquela luz solar. Assim, repetiria a dose para a vista e ficaria com a viatura pronta a “levantar ferro” por forma a fugir à confusão da fuga ao fim do dia. Pensei.

Puro engano. Tive que estacionar no parque do Corte Inglês e tentar chegar lá abaixo, ao rio, a pé. O que também não foi possível. Trânsito cortado, até o pedonal (já estaria super-lotado o espaço!).

Foi subir outravez o que tinha sido descido e procurar dar um ar positivo “à coisa”.

O “Metro” ainda funcionava sobre a Ponte D. Luís. Porque não?

Meus senhores do metro do Porto, por favor alterem esse sistema de compra do “andante” (para quem não sabe - eu não sabia - é esse o nome que dão ao título de transporte). Verão que rapidamente ficarão a ganhar.

Complicado e mais uma carga ambiental. Vendem um cartão por pessoa e por viagem (ida ou ida-e-volta). Cartão magnético que se tem que validar antes de entrar no eléctrico - desculpem, no metro (do mal o menos) - mas que depois se deita fora.

Então para quê um cartão daqueles, tipo multibanco, que podia e devia servir para carregar viagens enquanto aguentasse?

No regresso, tive o gosto de atravessar a ponte a pé, vendo o Porto e Gaia lá de cima. Não perdem a beleza que têm quando se vêem de longe. Porque de perto… embora se notem muitas melhorias e se continuem a ver edifícios antigos com arquitectura impagável e painéis de azulejos riquíssimos em beleza, também se apercebem cantos e recantos de pobreza e abandono. O que é uma pena.




P.S.:
O seu a seu dono!
Afirmei que o "andante" se esgotava com uma passagem de ida ou de ida e volta passando, a partir daí, a fazer parte do lixo ecológico que enche os nossos espaços.

Não inventei, foi o que me disseram algumas pessoas do Porto, mesmo junto à máquina comedora de moedas.
O XISTOSA, que é um "tripeiro" de longos anos, informou que, afinal, o andante é recarregável. Ficam aqui a rectificação e as minhas desculpas. E o agradecimento ao Xistosa.

17 comentários:

xistosa disse...

Vou coibir-me de comentar, o intrínseco desta postagem.
Moro perto do centro, apesar de morar na periferia, mas fiquei a dar corda aos meus aviões da infãncia e até a um combóio com linhas.
Não linhas de cozer tecidos, mas de cozer distãncias ...
O Red Bull Air Force ... talvez um dia escreva ...

Não admito é que não se avise ...

Talvez os aviões dessem asas à sua alegria e não á do Rui Rio.
(atenção que aqui defendo-o, nunca se poderia colocar em causa uma ponte, para não falar numa vida, que actualmente não tem equivalência à casca vazia de um tremoço)

Mundo materialista.

Nestas ocasiões, os conhecidos da Net, podem servir para alguma coisa, nem que seja para arranjar um penico para as primeiras necessidades.

O andante é recarregável !!!
Só que tem um defeito, entre muitos outros.
Temos que andar sempre a metê-lo na racha!
Mas depois pode-se carregar.
Os mentores do metro só tiveram um pensamento: "COLOCAR O METRO À SUA PORTA".
Onde se mete o valentim, "batatinhas"...

Gastam-se os poucos cobres que temos nos interstícios do subsolo, em minudências para particulares.
Estamos em Portugal.

Mas na rede de autocarros ainda é pior. É um cartão para 1 zona, 1 cartão para 2 zonas, e assim por aí fora ...
Temos que ser clientes dos ciganos e comprar daquelas carteiras cheias de transparências, para colocar os cartões e além disso ainda temos que os marcar, para saber quantas zonas abrangem.

O português é muito complicado e o utente ainda pior ... pois uma manifestaçãozeca, talvez pusesse os cus, daqueles que dão ordens, mas então todos os dias sentados, a pensar.
HAJA DEUS !!!

(ESTOU REFORMADO !!! SALVO "HONROSAS" EXCEPÇÕES, ESTOU SEMPRE EM CASA OU NA PERIFERIA.
AVISEM ! ! !
Se estiver em Monção ou Melgaço, sem titubear, digo logo que não posso ... mas é difícil!

xistosa disse...

São fotos dum Profissionalão.
Até pensei que estava no Porto.
Os olhos marejaram-me quando vi o Vímara Peres, o guardião das vacas da Sé.
Quem sabe sabe e o resto é tristeza vil ...

Pitucha disse...

Tenho que confessar que conheço muito mal o Porto! As fotos ajudam a conhecer um pouco mais!
Beijos

alfacinha disse...

há mais que dez anos que estive de férias nessa linda cidade à beira do Douro.
mas nunca vou esquecer três coisas ,as visitas aos museus e igrejas( espectacular) ,a madrugada que provei em quatro caves vinho do Porto ( embriagado) e uma ida e volta de camioneta municipal com uma velocidade de TGV pelas ruas íngremes de Oporto (medo) .cumprimentos

Ana-Catarina disse...

Adorei as fotos. Conseguiste apagar o "cinzento" que a cidade do porto sempre tem. Nos anos em que vivi em Lisboa fui poucas vezes ao Porto e...perdoem-me os amantes do Porto, nunca consegui entender o misticismo da cidade "invicta". Talvez por nunca ter conhecido ninguem que mostrasse a cidade como deve ser...!

Quando voltar a Portugal, o Porto sera sem duvida um destino (Adoro a zona ribeirinha de Gaia).

Um beijinho, directamente de Londres.

VictorCarrilho disse...

... se tens sensibilidade e sabes apreciar o belo, quantos "orgasmos mentais" tiveste ao fotografar estas imagens...??????

Entre linhas... disse...

Conhe�o bem a origem destas imagens da maravilhosa cida do Porto,j� tive o prazer tb de tirar indas fotos a esta casa.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Gi disse...

As tuas fotos são autênticos postais ilustrados.
O prazer da visita , como vês, é recíproco.

Um beijo grande.

xistosa disse...

O que eu sei. sem ter entrado no metro ...
Até tenho vergonha de saber tanto.

Mas áparte os apartes, é mesmo recarregável, mas um pouco confuso.
A primeira vez que ia andar de metro, cheguei às máquinas, (o cartão - andante, compra-se em qualquer lado) e não passei daí ...
Vou ter que voltar aos bancos da escola, a alta tecnologia, que no caso do metro do Porto, é uma vergonha, pela confusão, mas enfim ... nem todos podem nascer sábios.

AGRIDOCE disse...

XISTOSA,
Obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, pelos comentários.
A uma parte, já dei respostas, no plural, com o PS ao post e com o e-mail que te enviei.
À outra, dou agora. Ainda bem que gostaste das fotos.
Abraço.

AGRIDOCE disse...

PITUCHA,
Tenho pena de não ter tirado mais fotos. Fartei-me de andar a pé por aquela cidade e a luminosidade era muito, como se comprova pelas fotos que apresento, o que é a melhor condição para ter boas fotos. Mas não levava a minha máquina.
Beijos

AGRIDOCE disse...

ALFACINHA,

A cidade tem uma grande carga histórica. E linda. Mas sem sol, fica uma cidade muito escura para o meu gosto. Característica que comunga com muitas cidades do Norte.
Também há muitos anos fiz uma visita às caves do vinho do Porto.
Como começam manhã cedo, ainda não tinha o lastro necessário no estomago. Foi uma desgraça, porque resolvi correr o maior número possível. Sei que comecei a visita, lembro-me da primeira, mas a partir da segunda... ficou tudo muito confuso.
Resolvi repetir uns anos depois, mas com cautela. Não bebi o que eles queriam, mas o que eu achei que devia e podia.
Conclusão: a primeira foi uma visita aos vinhos, a segunda às caves :))
Tenho apreciado, sempre que posso, os posts que deixa no blogue. Gosto de todos mas especialmente os de temas históricos, quer da história puramente interna, dos Flamengos, quer da ligada à portuguesa.
Abraço

AGRIDOCE disse...

ANA-CATARINA,

Obrigadão pelas amáveis palavras e ao refinado elogio que fazes às fotos que apresento.

O Porto é mesmo cinzentão. Excepto quando há muito sol, que foi o caso.

O misticismo do Porto, na minha opinião, vai para aquelas gentes. Sempre disponíveis para dar uma ajuda aos forasteiros. Uma vez aconteceu-me com um polícia, desta vez com um jovem cidadão. meio perdido, perguntei como chegar a este ou aquele local. Pegaram nas motoretas e foram indicar-me o destino. Até lá mesmo.

Inpensável noutro qualquer canto que não seja o Norte de Portugal.

Obrigado pela visita e comentário.

Já noto um sotaque british na tua escrita :))))

Beijinhos

AGRIDOCE disse...

VITOR CARRILHO,

"... se tens sensibilidade e sabes apreciar o belo, quantos "orgasmos mentais" tiveste ao fotografar estas imagens...?????? "

Caro amigo, nem sei como te hei-de dizer que agradeço o elogio, especialmente vindo de ti, que tens um sensível gosto pelas fotos.

Mas acontece que eu até nem as acho grande coisa, portanto, de orgasmos... nickles :))
(como tu, estou falando destas fotos, claro).

Tirei-as com a minha máquina antiga, que agora já não é minha.

Uma HP que dá mais luminosidade às fotos que esta que tenho agora, uma Sony Alfa. Isto é, eu não sei dar a mesma luminosidade às fotos tiradas nesta máquina. O defeito é meu, concerteza.

O problema da HP é que é alimentada por duas pilhas comuns (embora possam ser recarregáveis). E está com uma autonomia de uma velha de 120 anos. Dou-lhe duas ou três flashadas e... apaga-se. Tive que a poupar para conseguir tirar estas fotos que aqui deixei.

Abraço

AGRIDOCE disse...

ENTRE-LINHAS,

Obrigado pela visita e comentário.

Apesar do quase permanente cinzento do Porto, também gosto muito da cidade.

Bom fim de semana para ti também.

Bjs

AGRIDOCE disse...

GI,

É um prazer ter-te de volta.

Bjs

alfacinha belga disse...

Que têm os flamengos com Oporto, muito simples a ponte Dom Luís primeiro.É o letreiro, um ponto de reconhecimento da cidade Oporto. Chamado injustamente a ponte do engenheiro Eiffel.Foi construído pela empresa flamenga Boomse metaalwerken,(bélgica) um projecto do engenheiro Téofilo Seyrig que assinou como único responsável a ponte. Já fora o autor do projecto Da ponte Maria Pia enquanto era sócio de Eiffel. Por isso a confusão com Eiffel.
cumprimentos